20 de jun de 2009

Vaidade Masculina

George Clooney

Atendendo aos pedidos dos meus leitores do sexo forte (muitos reclamando que não escrevo para eles), eis aqui uma matéria muito interessante e especialmente para vocês!

Tratamentos que há pouco tempo faziam parte apenas do universo gay começam a virar condição para o interesse feminino.

No site de relacionamento Orkut, há centenas de comunidades sobre homens vaidosos. Numa delas, o fórum é recheado de relatos sobre a preferência das mulheres.

Depilar é a coisa mais normal do mundo. E a mulherada adora, afirma um internauta. Depilação, aliás, é um assunto em pauta. Os homens discutem, de forma corriqueira e informada, os diferentes tipos de cremes e os lugares do corpo mais adequados para ter os pelos retirados. A maioria depila o peito; outros, também barriga e costas. Há ainda quem tire os cabelos das pernas, axilas e partes íntimas. "Fica bem melhor para a minha namorada, se é que vocês me entendem”, diz um participante.

Na comunidade do Orkut Amo Homem Vaidoso, que tem 412 pessoas registradas, mulheres elogiam o contato com peles masculinas macias. "Eu mesma compro o creme e passo nele todos os dias antes de dormir. Agora, quero que ele vá comigo à manicure", diz a internauta.

O desejo de perfeição estética que agora assola o mundo masculino nada mais é que o prolongamento daquilo que já existe no universo feminino.

A nova geração de mulheres não tolera mais homem desleixado. Elas dispensam solenemente os pelos no corpo masculino. Não existe uma regra que eles precisam ter o cabelo seco, a pele grossa e o corpo cabeludo.

De outra geração, a ex-jogadora de vôlei Virna Dias, de 34 anos, também questiona a máxima de que o homem de verdade é o homem rústico. Desde que começou a namorar o empresário paulista Rodrigo Piovesan, já o convenceu a usar creme noturno, a tirar o excesso de sobrancelha e a fazer as unhas semanalmente, sem falar no tratamento para amaciar os pés. "Não tem nada pior que aquele pé áspero", afirma. "Burro é o homem que diz que isso é coisa de gay." Concordo com a Virna, pois tenho muitos clientes homens que tiram o “sobrancelhão” e não deixam de ser másculos por isso. É só aparar, retirar os pelos indesejados, deixar o olhar harmonioso e, em alguns casos, pintá-las. Não podemos esquecer que, após certa idade, os pelos das sobrancelhas também ficam brancos, para nosso desgosto.

O incentivo feminino deve incrementar ainda mais o mercado da vaidade masculina, que já era crescente nos últimos anos. Nas clínicas de estética, o movimento dos homens cresceu 50% em 2007 e repetiu o resultado ao longo do ano passado. Eles já representam 20% dos pacientes de cirurgias plásticas, com ênfase na blefaroplastia (quando se retiram excessos de pele e bolsas de gordura das pálpebras), e a rinoplastia, que diminui ou afina o nariz. "Também aumentou muito a procura pelo lifting facial e a lipoaspiração no abdome e no pescoço, para acabar com a papada", diz o cirurgião plástico carioca Tomaz Nassif.

Nos últimos cinco anos, o mercado brasileiro de cosméticos masculinos avançou 17,5%, ultrapassando a barreira dos R$ 2 bilhões, com o país ocupando o segundo lugar do mundo. Nos salões exclusivos de depilação, o mais comum hoje é haver uma divisão da parte feminina e da masculina, devido ao crescimento da procura pelos homens.

De acordo com uma pesquisa feita pela empresa O Boticário e divulgada no ano passado, 66% dos homens brasileiros dão muita importância à própria aparência e 80% deles acham importantíssimo ter uma pele bem cuidada. Entre eles, 35% já usavam cremes para o rosto e as mãos.

O corpo é, hoje, um capital, um veículo para as camadas médias subirem na vida. É pela chamada "imitação prestigiosa" que essa mudança tem acontecido. "Se o Brad Pitt depila o peito e é um dos atores mais festejados, casado com uma mulher linda como a Angelina Jolie, eu também posso e devo depilar", afirma a antropóloga Mirian Goldenberg, da UFRJ, autora do livro O Corpo como Capital. "O que era um tabu se transforma primeiro em um comportamento aceitável e, talvez, mais tarde, em uma obrigação."

A vaidade cria, portanto, outros parâmetros tanto para os homens quanto para as mulheres que com eles se relacionam. Têm homens que usam cremes antirrugas, esmalte claro nas unhas (isso eu acho meio esquisito... mas gosto é gosto) e até corretivo nos olhos. Alguns fazem drenagem linfática e passam óleo no corpo.

A valorização desse homem vaidoso, que alguns chamam de metrossexual – de acordo com termo cunhado pelo colunista inglês Mark Simpson em 1994 –, ganha força a partir do mundo das celebridades, que é o espaço da imagem por excelência. Quando homens de prestígio – em especial aqueles que fazem sucesso com as mulheres – adotam novos tipos de costume, homens comuns sentem-se legitimados a fazer o mesmo, sem medo de ser estigmatizados.

O homem que não tem medo de se cuidar é também resultado de um comportamento novo. A partir da década de 70, a emancipação feminina diminuiu as diferenças de papel social entre os gêneros. As mulheres ganharam a rua, o mercado de trabalho e, de certa forma, empurraram os homens para o mundo doméstico. Se elas estão fora boa parte do dia, é preciso que os cuidados com a casa e com os filhos sejam divididos entre os parceiros. Se, durante um bom tempo, a consequência disso foi apenas a dupla jornada feminina, na última década é crescente a participação masculina no que antes era o universo das mulheres. Homens vão às compras, preparam a comida, trocam fraldas e adoram decorar a casa. Também já sabem que não há problema em mostrar sua fragilidade, chorar e expressar os sentimentos de forma mais sincera. A isso tudo corresponde novas necessidades estéticas.

Na visão da psicóloga e sexóloga Regina Navarro Lins, a divisão do ser humano em masculino e feminino existe apenas em nossas crenças. "A tendência é que isso se dissolva. O que determina se uma pessoa é vaidosa não é o sexo, mas a personalidade", afirma. A divisão dos comportamentos humanos nas categorias "feminino" e "masculino" surgiu há 5 mil anos. Tais conceitos estavam bem delimitados com características específicas e exclusivas. Delicadeza, fragilidade, meiguice, cordialidade, gentileza, assim como a vaidade, pertenciam ao estoque feminino, enquanto ousadia, força, agressividade, determinação e poder pertenciam ao masculino. Quando as mudanças vieram, a partir da segunda metade do século passado, o homem heterossexual tentou resistir – de braços cruzados, peludo, a pele do rosto maltratada por lâminas de barbear. Agora, está sucumbindo, sob protestos de alguns.

O ator e roteirista de humor Bruno Mazzeo, de 32 anos, assumidamente antimetrossexual, diz que quando o homem entra pelo caminho da vaidade ele perde o melhor do gênero masculino, que é justamente a possibilidade de ter uma vida simples. "Não precisamos depilar nada, basta passar a mão no cabelo que fica bom", diz ele. "Imagina de repente ter de marcar salão todo mês, passar vários cremes depois do banho, ter de estar dentro da moda. Deixemos as mulheres sofrerem sozinhas."

A relações-públicas do Copacabana Palace Patrícia Brandão, de 45 anos, também condena os excessos masculinos. Para ela, homem depilado nem pensar. "Homem tem de ser limpo e, no máximo, cheiroso", afirma. "Tirar os pelos, passar creme, ficar se olhando demais no espelho é algo que anula o melhor do homem, o charme do despojamento."

Fonte: http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI20396-15228,00-ELES+SE+DEPILAM+ELAS+ADORAM.html

6 comentários:

Cesar Cruz disse...

Muito bom seu bloguinho, Jane! Voltarei!

Opinião muito pessoal, posso? Lá vai: acho que no homem não fica bem a retirada (chamada limpeza) dos pêlos das sobrancelhas. Traz um hibridismo, uma delicadeza ao rosto que, particularmente, acho que não combina com este ser rústico! ahaha.

bjs
Cesar

Jane F. Carvalho disse...

Oi Cesar,

Obrigada por teres gostado do meu blog.
Quando o assunto é a retirada do excesso de pelos das sobrancelhas masculinas, vai do gosto de cada um. Eu acho que, quando o homem tem "monocelha" (aquela que é unida), é bom dar uma "limpada" na área... rsrs. Não para deixar o macho com cara de boneca, viu? Só para limpar mesmo e isso faz com que ele fique com um olhar mais bonito, jovial e feliz. Os homens muito "sobrancelhudos", geralmente, ficam com caras de brabos.
Mas gosto é gosto e a gente deve respeitar.

Volta sempre que quiseres!

Um abraço!

Jane

rouxinol de Bernardim disse...

A moda obriga toda a gente a segui-la. Está na moda ser «metrossexual»... é o nome que dão aos machos que a seguem escrupulosamente!

Anônimo disse...

OI JANE

Bem, gostaria de primeiramente parabeniza-la pela matéria, pois atualmente dificilmente vemos algo assim relacionada a vaidade masculina, dicutida muito bem por voce.
Na minha opinião, acho que hj em dia nós homens vivemos num mundo machista que cobram comportamentos primitivos, porem, vem acontecendo mudanças nesses comportamentos, graças ao universo feminino (que é muito exigente)mudanças em certos habitos, como por exemplo homens mais vaidosos, ao inves daqueles antigos "trogloditas".
Não vejo nada demais um homem tirar uma sobrancelha ou depilar o peito, isso nao feriria sua masculinidade, o importante mesmo é, CONSEGUIR AGRADAR O MAIOR NUMERO DE MULHERES, se elas acham higienido e bonito, porque nao fazer, temos que entrar na moda, rs.
abraços

Adriano

ROSANA COSTA disse...

Aiiiiiiiiii que delícia...me encontrei...posso invadir seu espaço te seguindo? e ficarei muito feliz em ter você como a minha seguidora...adorei!!!! o meu mundo é exatamente esse...cuidar da beleza...bjs

Aryellen Bezerra e Andressa Salomão disse...

Adorei o Blog!! Já estou lhe seguindo me segui também http://meninamulher-meninapink.blogspot.com/
Bjk's