11 de jan de 2009

Doenças do Sono Que Atrapalham a Carreira

O sono é sagrado. Basta uma noite mal dormida para chegar a esta conclusão. O cansaço durante o dia, a dor de cabeça e aquela preguiça após o almoço já indicam que as coisas não vão bem pela noite. E, muitas vezes, não é só a falta de tempo para dormir que causa isso. Doenças podem prejudicar o sono e, consequentemente, a vida profissional.
Algumas delas são mais frequentes na população, o que facilita o diagnóstico, enquanto outras passam despercebidas, prejudicando a vida pessoal e profissional. Confira quais são as doenças do sono que mais prejudicam a carreira e como tratá-las.
Noites em claro

De acordo com o presidente do Departamento de Neurologia da APM (Associação Paulista de Medicina), Rubens Reimão, a mais comum é a insônia, que atinge de 20% a 25% da população adulta brasileira. As causas são diversas, desde uma depressão ou ansiedade muito grande até simples hábitos adotados antes de dormir.
"Ela é causada, muitas vezes, pela preocupação no trabalho e pode influenciá-lo. O próprio estresse e a tensão levam à insônia. Ela é tratada de acordo com a causa. Depressão, ansiedade, forma de dormir e etc", afirmou o especialista. No caso de uma depressão, a alternativa é tomar remédios para tratar dela. Além disso, para a ansiedade, é indicada a psicoterapia.
Quando a causa é o trabalho, a alternativa é fazer mudanças na vida profissional. Em relação aos maus hábitos - ingerir álcool, café antes de dormir, quarto muito iluminado, assistir TV até muito tarde, abusar do computador durante a noite -, é preciso descobri-los e se livrar deles. A dificuldade em tratá-la está realmente neste fato, em descobrir o que a causa.
Quando a insônia é de curta duração, é mais fácil identificar o motivo: entrevista de emprego, prova no trabalho, um assalto. Normalmente, está relacionada a um estresse passageiro. Por outro lado, existe a de longa duração, que deve ser tratada com orientação médica. "Depois de quatro semanas, a insônia passa a ser considerada crônica".
Noites barulhentas

A apnéia do sono também é bastante comum. Nela, a pessoa pára de respirar por um determinado tempo e, em decorrência disso, começa a roncar. "É mais comum em homens de meia idade e em obesos", afirmou Reimão.
O problema piora com a idade, porque os músculos da garganta vão ficando mais flácidos. Devido a esse mecanismo é que a doença acomete mais pessoas com maior idade e mais obesas.
O fato é que tudo isso prejudica a pessoa no trabalho, porque ela se sente mais cansada durante o dia. A sonolência é tão grave que provoca acidentes automotivos. Tanto que, segundo o especialista, a legislação brasileira quer identificar na carteira de motorista as pessoas que têm apnéia do sono.
Dentre os tratamentos para a doença, estão cirurgia, aplicação de injeções para diminuir o ronco, além de remédios.
Noite que vira dia

Uma doença do sono que está sendo bastante estudada é a narcolepsia. "É uma doença neurológica que faz com que as pessoas durmam durante o trabalho, na frente do computador, a qualquer momento. Isso acontece porque há déficit da produção de orexina - neurotransmissor que faz a pessoa ficar acordada", explicou Reimão.
Como a doença foi descoberta recentemente, existem muitas divergências sobre o que causa o déficit de orexina. Uma teoria é de que há envelhecimento precoce do responsável por sua produção. Outra é a de que existem células que a matam, como se a pessoa possuísse um sistema autoimune.
Ela normalmente aparece cedo, logo na adolescência, mas como os jovens têm costume de dormir bastante e em horários desregulados, ela passa despercebida. "É muito importante que se note que não é um sono normal, a pessoa não consegue brigar com ele. Como a população ainda não conhece a doença, quem a tem fica um bom tempo sofrendo até ser levado ao médico".
O problema é seguido de incompreensão familiar, de amigos e patrões. A sonolência, geralmente, é confundida com uma situação normal, o que leva a uma dificuldade de diagnóstico. É comum portadores passarem a vida inteira sem se darem conta que o quadro é motivado por uma doença, sendo tachados por todo esse tempo de preguiçosos e dorminhocos. O tratamento é feito com medicamento que contém substância para deixar a pessoa acordada

2 comentários:

Tais Luso de Carvalho disse...

Jane, este artigo está ótimo! Conheço pessoas que sofrem desta doença - narcolepsia -, elas não têm a mínima noção de que são vítimas. E muitas, não querem nem saber... Outra coisa que leva à insônia é o cansaço físico, muitas vezes estamos tão cansados que não conseguimos dormir ou temos uma péssima noite. E, como teu blog fala sobre beleza estética nada melhor para isso do que uma noite bem ‘dormida’. O uso do computador ou televisão até altas horas é veneno puro! E mudar hábitos exige muita força de vontade, é um vício, também.

Beijos, querida.
Tais

Jane F. Carvalho disse...

Obrigada, Taís!

Sem dúvida, o sono recupera as energias gastas durante o dia e faz bem para o corpo todo, inclusive para e pele. Dizem que tirar uma soneca depois do almoço, é o "sono da beleza".
Viste que a matéria não foi escrita por mim. Achei muito interessante e informativa, por isso postei.

Beijo grande.
Jane